Onde limite é a virgula e não o ponto.


Pontuações

27/07/2013 13:11

 

E nasce um poema...

Surge sem ponto inicial,

Urge necessário a preencher vazios,

Pautado em palavras e pontuações,

Em arranjo sinfônico, ritmado...

 

As letras dispostas são anagramas,

Decifráveis sutilmente pela elegância de sinais gráficos,

Alegorias que pontuam e expressam o indizível...

 

O ponto e vírgula; um lascivo piscar de olhos,

O namorado, a cortejar a menina:

-Vamos à dança?

 

Dois pontos, os olhos atentos do pai:

-Com ele não!

 

O travessão uma plataforma para soltar o verbo,

De onde o sujeito salta e mergulha a vontade:

-Veja-me mãe!

 

Reticências são reminiscências de um amor...

Três pontos contíguos de contínuas e saudosas lágrimas:

-Sinto muito...

 

Exclamação é grito da alma aos céus!

-Ouça-me Deus!

 

Os parênteses são símbolos do teatro da vida

(comédia e drama)

Abrem-se quando a emoção chega

(triste ou feliz)

 

Aspas, pequeninas vespas,

A proteger o ninho das ideias,

Prontos a “ferroar” que estão estes cupidos:

-“Eu te amo”

 

E o que é a interrogação? Se não um círculo incompleto?

É caminho a seguir?

É percorrer sem nunca chegar?

É induzir ao erro o detentor da resposta?

Uma inflexão, quem sabe?

 

Ah! Sim...

E a minha querida vírgula!

Esta, o maior dos pleonasmos,

 

Na lacuna deixada, situa a sinuosa,

Enlaçando as palavras em versos...

 

É por suas pausas que ficamos sem fala,

A muda entonação...

É toda emoção contida,

E não existe eloquência maior...

 

Virgulando,

O cavalheiro faz sua reverência,

O artista movimenta o pincel,

O maestro a batuta,

E o menino poeta escorrega a dor,

 

E o que seria de mim?

Sem escorregar em ti?

 

Permita-me então,

Mais uma vez,

Levantar meus braços,

E descer em teu seio...

 

E neste passeio,

Eu me encontro,

Abraço minha alma,

E posso finalmente chorar vida...

 

Tenho esperança em ti querida,

E enquanto esperançoso,

A vida continuará,

Emanará em novas canções,

 

Nas delícias de tuas curvas...

Em intermináveis voltas...

 

Pois existe alegria nas idas e vindas...

Lembranças do menino em mim,

Pois que se não tivesse ","

Só me restaria o ponto final.

 

Foto: https://poesiavisualsilvio.blogspot.com.br/

Texto: Maurício Gervazoni

BLOG: www.sem-fronteiras.net   CURTA E SIGA: https://www.facebook.com/poesiassemfronteiras

 

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!