Onde limite é a virgula e não o ponto.


Filhos D´água

27/10/2015 12:02

Filhos D´Água

 

Chuva chovida

Nascida da nuvem grávida

Chorinho

Da alva viola

Que dá vida!

 

Dádiva mãe das águas passadas

Gorda das sementes d´água

Pari no mundo, o nosso futuro

 

Pinga, pinga em pingos

Pintassilgos fluídos

Contraltos e baixos

Sopranos, Tenores

Brancos, amarelos e negros

Vozes particuladas

De infinitos tons

 

Chuva chovida

Chova vida!

Deságua mais lágrimas

Esvoaça sem asas

As diversas vozes ao vento

Cantando o movimento

Sobre a dor incolor

 

Chuva,

Chama da vida!

Nos chama à vida

Num pé d´água

Queremos ser

Contar verdes histórias

Arvorar na Terra.

 

-Do coral divino,

Gentes gotejam do céu

Transparentes-

 

Decaída

Toda lágrima que sua do céu

Quem sabe a sua

Com certeza a minha

Lateja, almeja

Com toda força de sua gota

Que em toda gota haja mar

E que qualquer tempestade ou garoa 

Nos leve, leves à amar.

 

Maurício de Carvalho Gervazoni

Imagem: Google

Mais: https://www.sem-fronteiras.net/news/blade-runner/

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!