Onde limite é a virgula e não o ponto.


Casa

12/08/2013 07:42

 

Sai de casa muito cedo,

E não encontro mais o caminho de volta...

Desencontro-me em ondas nebulosas,

Estrelas decadentes,

Cometas que passam...

 

Não entendo o que a galáxia quer de mim,

Se nem eu mesmo espero nada mais...

 

Tenho medo desta gravidade

Da ausência de luz nesta viagem

O buraco negro se aproxima...

 

Meu último vislumbre de um abrigo

Foi nos braços da via láctea,

Sorvendo seu leite

No seio quente do seu sol

Admirando a lua brilhante dos seus olhos...

 

Fui embora tão cedo

Nove meses apenas...

Foi o tempo em que pertenci a este Universo.

 

 

 

Foto: Google images

Texto: Maurício Gervazoni

 

Curtiu? Curta:https://www.facebook.com/poesiassemfronteiras

Blog: www.sem-fronteiras.net



 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!