Onde limite é a virgula e não o ponto.


Amor Danilo e Claudia (Parte 2)

20/08/2014 20:15

Texto em Homenagem ao casamento de Danilo e Claudia

Amor (Parte 2), 

 

Mesmo assim, farei um apelo ao vovô Aurélio. Sempre faço quando estou em dúvida sobre uma palavra. Esta bíblia é melhor que qualquer livro de auto-ajuda. Pois que lá se encontram as origens de tudo que dizemos. E quantas são as vezes que falamos coisas que não queríamos por não conseguir encontrar as palavras certas. Lá encontraremos todos os tipos de amor.

Não posso deixar de fazer alguns singelos versinhos...

Tipos de Amor:

 

Quando o amor é passageiro, desce na primeira estação logo depois que termina o verão...

Quando ele é tripulante transporta toda gente no vagão do coração...

Quando é platônico. É um caso complicado...

Quem tem por alguém, sente muito;

Pode alegrar-se ou sofrer por ele. Mas ficará só na vontade. Jamais irá fazer amor...

 

O amor  pode ser à primeira vista ou vir somente após o enxergarmos.

Pode ser dedicação absoluta, uma veneração cega ou ser amor livre, desimpedido.

 

Gosto de um tipo muito especial. Ele se chama amor filial. Este, exige o exercício da tolerância. E não se trata somente de pais e filhos. São os laços familiares. Tios, sobrinhos, primos e avós.

Fomos eleitos cada um para nascer em uma casa onde já moram outros. Não escolhemos estas pessoas, mas podemos acolhe-las.

Quer queira, quer não, está será por muito tempo nossa moradia também.

Casa grande ou senzala, não importa. Fundamental é ser regida pelo amor. Onde tem gente de todas as cores habitando-a. Quanto maior a paleta de cores. Mais vívida será a pintura de um lar.

Bem abençoada a família que ama sem julgamento. Pois cada um de nós tem todas as qualidades e defeitos que cada um de nós pode ter.

 

Rico é o homem que através da íris dos olhos, reconhece a beleza do arco-íris. 

Pobre daquele que é monótono. Mono-tom.

 

Muitas famílias permitem a construção de laços coloridos, pois não julgam. Somente amam. E não é somente aceitar o diferente. É muito mais. É perceber que o diferente é um complemento para nós mesmos. Pois que não aprendemos nada no conforto dos iguais. Não somos cores primarias. Vivemos e matizamos a consciência com novos tons.

Tão belo ver uma família unida em laços amorosos...

Como é lindo habitarmos uma casa colorida...

O amor pode ser incondicional. Muita gente diz que este é o amor verdadeiro. O verdadeiro amor, muita gente diz que é o amor de mãe. Sem ter razões, sem esperar nada em troca, sem impor condições.

A mãe pega em nossa mão e leva, levanta, eleva...

Amor incondicional... Altruísta, generoso e infinito.

 

Na Bíblia lemos,

 

"o amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."

 

A mãe sofre de amor...

 

Para não sofrer, devemos cuidar...

Já vi muitas pessoas cuidarem do seu amor nesta vida;

 

Um dia o menino estava com febre, o pai acordou. Levou ao hospital. No dia seguinte não reclamou, estava feliz. Foi só um susto, nada demais. O amor não é obrigação, é gratidão.

No mesmo dia este pai havia chegado em casa cansado. Mesmo assim, coloco as crianças para tomar banho enquanto verificava a lição de casa. Amor não é só carinho, é dedicação.

Uma mãe aninhou sua filha no colo. Acordou de madrugada, amamentou. Leite materno é o amor líquido.

Um tio ajuda a sobrinha que está com dificuldades na escola, em casa. Não sabe o que aconteceu, mas esta ali para ajudar sua irmã naquilo que for necessário. Por amor, damos a mão, estendemos os braços e abrimos nosso coração.

Um primo vai buscar o outro em uma madrugada gélida, mesmo sabendo do risco, o lugar é perigoso. Mesmo assim, ele vai. O amor não teme, é corajoso.

Irmãos que se cuidam desde o nascimento. Foi em uma viagem que fizemos. Ele fez a cama para ela dormir e ela preparou o café na manhã seguinte. Sábios aqueles que tem atitudes amorosas. Pois que o amor reside nas pequenas ações.

Conheço um marido, que larga tudo o que esta fazendo para buscar a esposa. Leva-a para casa. Onde quer que ela esteja, a qualquer hora do dia ou da noite. O amor não tem hora. É altruísta e atemporal.

Conheço um homem que trabalhou a vida toda para dar a família tudo que ele não pode ter. Este mesmo homem, nunca foi de falar muito a respeito do amor. Mais do que falar, deu-nos exemplo. Amor é dar exemplo.

Conheci um avô, que sempre incentivou e acreditou em todos a sua volta. E só isto ele fez... E manteve por muitos anos toda uma família em volta de si. Ele foi o próprio verbo.

No dia do falecimento de uma mãe, um tio e seu sobrinho tem uma conversa de pai para filho, de filho para pai. Como se fossem irmãos. Como se fossem filhos. O amor transcende.

Neste dia. Os verdadeiros amigos estavam lá. Amigos de verdade vão a lugares não porque desejam. Mas sim, porque sabem que precisamos. Amor é realizarmos pelo outro, aquilo que gostaríamos que fizessem por nós.

Uma filha marca exames para o pai. E o acompanha até o médico sempre. Quem ama cuida.

A outra, no leito de morte de sua mãe deu-lhe água. Pegou em suas mãos. Cantou e velou seu descanso até o último suspiro.

 

"Feliz do filha que é mãe de sua mãe antes da morte, e triste do filho que aparece
somente no enterro e não se despede um pouco por dia"

 

O ex-futuro marido estava lá. Acompanhou, zelou. E num ambiente adoentado, trouxe leveza. Troçou da morte com seu senso de humor único. Não de forma desrespeitosa. Mas com uma alma espirituosa que sorri pela queda, mas ajuda quem cai a se levantar. Este menino trouxe alegria ao enfermo, a  família. Tantos foram os personagens engraçados que interpretou. Este palhaço é sábio. Nos ensina a rir de nós mesmos. De nossa fragilidade. De nossa finitude. E nos faz refletir sobre o tempo que podemos perder com frivolidades.

 

Perde tempo aquele que não ama, não compartilha, não sorri do outro e nem de si mesmo

 

Quando minhas irmãs estavam para voltar da Austrália, estava ansioso pelas novidades. Seria ótimo se elas trouxessem um canguru para presentear a criançada. Na última semana que precedeu a volta, já desconfiava que a Claudia havia conhecido alguém. Imaginei um daqueles australianos surfistas. Um loiro queimado de sol. Um metro e oitenta. Uma casa na praia onde poderia levar a família para passar as férias. Que surpresa tive ao saber que ela atravessou o mundo para encontrar um brasileiro. Que surpresa tive quando aprendi a gostar deste sujeito.

 

É por amor à arte que todo poeta escreve. E amor com amor se paga.

 

Eu verso hoje sobre o amor

Enquanto converso com ele

E hoje a noiva está um amor

E o noivo é um amor de pessoa

E este casal um sonho de amor

 

Foi convidado para falar a respeito. Mas ele quem tem muito mais a falar a nosso respeito através deste casal.

 

Amor

[Do lat. amore.] Substantivo masculino.

 

Como pode o amor ser um substantivo masculino?

 

O amor não tem gênero. Não é homem, nem mulher. É um casal. Não é estático como um substantivo. O amor esta mais para um verbo. Que sempre conjugamos em momentos especiais. Únicos. Momentos como este por exemplo. Agora mesmo, os instantes vão se passando,  mas jamais ficarão no passado. Estão presentes em nós. Estarão para sempre conosco. O casal. Pois conjugamos o amor hoj através deles . Estamos a mando dele. Amando. E enquanto os segundos passam, respiramos este ar que está impregnado de ternura. Nosso pulmão está sendo arado com carinho."Love is in the air". O amor está no ar. Preparando a plantação. Nosso coração está sendo cultivado.

Percebam. É imenso o presente que recebemos do casal hoje. Se permitirmos o permear deste ar e semearmos a terra em nós. Nasceremos flores. Poderemos retribuir então o aroma de amor que nos esta sendo doado por eles com aroma de amores...

Poderíamos estar em qualquer outro lugar do mundo. Eles também. Talvez na Austrália. Porém, eles e nós, todos estamos aqui. Participando desta linda cerimônia. Tenho fé que o amor nos trouxe até o ápice deste instante.

 

Conjuguemos o verbo amar então como a uma oração.

 

Amemos então...  

 

Eu amei, eu amo e sempre amarei minha irmã Claudia e meu irmão Danilo.

Tu se estás aqui também os amaste, amas e amarás

Eles começaram a se amar um dia em um país distante e com toda certeza nunca se amaram tanto quanto hoje em próprio País...

Vós amareis e

Nós amaremos uns aos outros nesta casa. Casa colorida. Que pintaremos com nossos sorrisos. Casa que o casal construiu com tanto amor. E permitiu que entrássemos.

É um templo o tempo que nos concedem de braços abertos

Em abraços amorosos

 

Este casamento, que compartilham conosco. Celebra a conquista do amor passado, não só pelas glorias, mas também pela superação e entendimento. Pois que nos caminhos que percorreram para chegar até aqui, cada um deles, sabe no íntimo quais foram as dificuldades. Obstáculos que com amor transpuseram lado a lado. Como tem de ser. Pois somos únicos. Indivisíveis. Pois quem não tem amor próprio não tem o próprio amor. E ninguém pode dar o que não tem. Se estão aqui agora é porque antes de se encontrarem, encontraram-se a si mesmos. Como casal, vocês são caminhos paralelos. Carinhos que se escolheram por algum motivo inestimável. Amável. Estão juntos para despertarem o melhor que existe em vocês. Um no outro. O outro no um.  E com a coragem que só o amor propicia, estão perante nós hoje. Somos as pessoas que escolheram para  anunciar que ambos se conjugam. Conjuminam-se. Participar desta celebração esta sendo uma grande comemoração. Uma vitória do verbo, do casal. Faço agora uma promessa.

Daqui para frente e para todo sempre, de mim, só receberam as flores que permitiram que cultivasse.

 

Claudia e Danilo

 

Procurei o amor entre os filósofos, escritores, compositores  e poetas. Não tive sucesso. Só encontrei o amor agora, admirando vocês. O verbo casal. Também não consegui expressar o que meu coração pulsa. A emoção transborda. Emana. O que me faltaram o que me falta agora,  são palavras. E elas estão acabando. Embora meu amor continue pulsando.

 

Pulsando as ondas das águas do oceano que rebentam no coração,

Pulsando as ondas luminosas do sol que aquecem o coração,

 

Nesta curta jornada talvez tenha aprendido algo. O amor é uma ação do ar. É doar-se. Dizer eu te amo é muito fácil. O difícil mesmo é amar... Eu sinto em vocês esta doação. Respiram amor.

 

Minha singela reza termina enfim com um pedido de casamento

 

Que despertem no outro o mais belo que tem em si

Que na convivência diária sejam capazes de admirar o diferente entre si.

E que vossos corações pulsem em um só ritmo...

Amem, Amem, Amem... Amém...

 
 
https://www.sem-fronteiras.net/news/amor-danilo-e-claudia-parte-1-/
 
Maurício de Carvalho Gervazoni
 
 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!